sábado, 14 de julho de 2012

Rules of Engagement


A 1ª temporada só tem 7 episódios.
   Agora eu gostaria de apresentar um dos meus seriados favoritos. Pois eu assisto muito! Muito mesmo! Esse é um seriado que eu particularmente considero bom, embora não seja o melhor seriado entre os que eu assisto. E provavelmente não vai ser o melhor seriado que você vai ver na vida! Então por que diabos eu assisto tanto esse seriado? A maioria dos seriados de comédia que eu gosto de assistir seguem um enredo como numa novela, como: "Ih fulano gostava de fulano" ou "esse é continuação daquele outro episódio" etc. Com Rules of Engagement isso não acontece. Claro que existe uma cronologia e se você for começar a assistir é preferível que você assista na ordem. Mas como eu já assisti todos os episódios, o que eu faço? Sempre que eu tenho 20 minutos livres eu escolho um episódio aleatoriamente e dou play...

   O seriado vai mudando de foco com o passar do tempo, todavia no começo foi criado para abordar relacionamentos usando três pontos de vista diferentes. O ponto de vista do cara solteiro: Russell Dunbar (interpretado por David Spade) que é o malandro que não quer relacionamentos sérios. O ponto de vista do noivo: Adam Rhodes que pede a mão da namorada em casamento e se muda pra morar com ela, e por fim o ponto de vista do casado: Jeff Bingham (interpretado por Patrick Warburton) que contraiu matrimônio há 12 anos.

Apresentando os personagens:
   Russell é um baixinho, loiro, que não aceita que seu tempo já passou. Ele está sempre tentando se passar por mais novo pra tentar pegar alguma mulher. Segundo o personagem: “Idade não é um problema! Em geral porque eu minto sobre ela...”. Pelo lado positivo o cara é filho do dono de uma grande firma de arquitetura: as Industrias Dunbar. Os seus pais são separados e sempre deram péssimos exemplos de conduta sexual, e talvez por isso ele cresceu obcecado com pornografia e sexo. Com tanto dinheiro no bolso Russell demonstra dificuldades pra perceber que não é feliz como solteiro. (Ou talvez ele seja...)

   Adam se considera bonito, não tem o menor problema de autoestima e foi criado por hippies. Ele ama Jennifer (sua noiva) e faz de tudo pro romance dar certo. Mas acontece que ele não é muito esperto, na verdade com cada temporada a impressão que dá é que ele vai ficando mais burro. Na primeira temporada ele vive, sutilmente, um dilema: De um lado o forte amor pela noiva, do outro um amigo solteiro se gabando de como é bom estar sozinho e um amigo casado mostrando os problemas da vida conjugal. Mas ele vai seguindo como “o noivo” da série, afinal ele é simpático/estúpido demais pra esquentar a cabeça com problemas do relacionamento.

   Jeff adora beber, adora esportes, e é o “homem tradicional”. Todo aquele papo que o homem não pode se abrir emocionalmente pra esposa, e que tem que trazer mais dinheiro pra casa define o mr. Bingham. Ele jamais trairia, ou trairá a sua esposa, mas depois de 12 anos de casado ficar sem ela em casa ou não ter que ouvir ela falar são duas das maiores alegrias que ele pode ter. Adam enxerga ele como um irmão mais velho e admira tudo que ele fala e faz. Jeff tira vantagem disso, seja pra zoar o Adam ou pra economizar dinheiro numa ida ao restaurante. No geral ele é um bom amigo e um bom marido, só que um bocado egoísta e individualista.

   Sobre a Jennifer a gente não aprende muito, na verdade as garotas protagonistas são em geral escadas pro Adam e pro Jeff. Mas isso não quer dizer que elas não tenham personalidades interessantes. Jenn é bem mais esperta que Adam e possivelmente foi ela quem iniciou o relacionamento entre os dois. Ela também é meio macho e “o mais perto de ser um 'cara' no relacionamento deles!”. É estranho perceber aos poucos que ela tem muito mais experiência sexual que o Adam Rhodes, mas é claro que ela esconde bem os segredinhos do passado dela.

   Audrey é a mulher que gosta de cartar. Seja pra ganhar as discussões com o marido ou pra mostrar que é uma mulher com habilidades pra lidar com pessoas (O que ela não é!). Muitos dos problemas que ela e o Jeff vivem começam quando ela tem alguma "ideia". Audrey é fogo de palha, começa várias atividades e depois desiste. Jeff conhece bem os métodos da sua parceira de mais de 12 anos, mas ainda tem muito o que aprender.


   Pra mim outra coisa legal sobre o seriado é que o trio de personagens me faz lembrar de um trio que eu e mais dois amigos fazíamos. Além disso, ao contrário do conceito de amizade que muitos seriados pregam que é o de amigos tratando uns aos outros como “irmãos”. Aqui a coisa é menos ambiciosa e, quem sabe, mais realista. Os caras se juntam pra ficar tirando sarro um da cara do outro dizendo coisas como “você é tão gay”. É claro que ninguém quer o mal pro outro e não rola falsidade, mas ninguém vai fazer favor pra ninguém tão fácil assim.

   Meu último aviso é o seguinte: se você tá planejando assistir esse seriado depois desse post saiba que esse seriado é um guilty pleasure meu. Mesmo nos EUA muita gente detesta e acha ruim, algumas das pessoas que assistiram comigo também não curtiram muito. Então se você achar ruim não vem reclamar comigo, pois eu assisto mesmo assim!
   Além disso quando eu baixei os videos legendados eu encontrei muitos erros, não sei se tem outro grupo traduzindo hoje ou se é o mesmo. Se alguma piada não ficar bem clara pra você entra em contato comigo, pois eu sei praticamente todas as falas desse seriado mesmo! (hehe)

Eu gosto muito da música da abertura do seriado...

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário