sábado, 26 de junho de 2010

Pequeno, porém Glorioso Príncipe


Eu sei que não há lá muito o que resta para falar. Porque o Pequeno Príncipe não é tão underground assim para estar aqui no meu blog. Mas, céus... Certa vez eu li um desses comentários “fulano de tal disse” ou “segundo new work times aquilo” que o mundo era divido entre quem leu o Senhor dos Anéis e quem não leu. Acho que este pequeno livro, sobre este pequeno príncipe merecia muito mais esse tipo de comentário. Mas acontece que ele não é uma leitura gigante super descritiva e sacal, sobre um grupo de gente que... caminha...

Se você fica chateado por eu falar de "Senhor das Coisas", note que o Pequeno Principe já ganharia por não ter pelos nos pés. Mas de qualquer forma ele é medalha de bronze em traduções para outros idiomas tendo sido traduzido para uns 180 (note que nenhum artigo da Wikipédia tem esse número de opções hehe), sendo que perde apenas para a Bíblia (Que ninguém lê por inteira) e para O Peregrino (Quem?).

O livro foi feito como livro de criança, todavia é muito lido por adultos pelo teor filosófico. “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” é uma célebre frase muito bem conhecida que é extraída desde adorável livro. Ele é fofo, meigo, e muito mais...

Acredito que qualquer outro comentário possa vir, facilmente, a se tornar spoiler. Então fica aqui o conselho não tão underground: Leia este livro. É uma leitura bem rápida e você pode terminar em um dia se você for um leitor de costume e boas maneiras.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário